Caminhar e desvelar paisagens

Walking and Unveiling Landscapes

Arthur Simões Caetano Cabral*
Vladimir Bartalini**





     

Resumo:

Muito mais do que extensão do território que se abrange com um lance de vista, a paisagem é presença que se revela pelo caminhar. E não se revela cabalmente ou por completo, não só porque a todo visível corresponde um invisível, mas também porque a completude transformaria a paisagem em mero objeto destituído de horizontes, ou seja, de possibilidades e de mistério. Assume-se aqui que a riqueza de sentidos da paisagem não se limita à sua excepcionalidade, mas é extensiva às situações banais, e que o desvelamento poético é o modo de trazer a paisagem à presença sem destruir o seu segredo. Para dar tratos ao assunto, o presente artigo toma por referências reflexões tanto de pensadores (alguns dos quais pensadores da paisagem) quanto de poetas, e apóia-se no conto O recado do morro, de Guimarães Rosa, para elaborar a relação entre a paisagem, o caminhar e a revelação poética.
Palavras Chave: Paisagem. Horizonte. Caminhar. Revelação poética



Abstract:

Much more than the extension of the territory that is covered with a throw of sight, the landscape is presence revealed by the walk. And it does not reveal itself fully or completely, not only because everything visible corresponds to an invisible, but also because completeness would turn the landscape into a mere object devoid of horizons, that is, possibilities and mystery. It is assumed here that the richness of the landscape meanings is not limited to its exceptionality, but is also extended to banal situations, and that the poetic unveiling is the way to bring landscape to the openness without destroying its secret. In order to deal with the subject, this article takes as reference the reflections of both thinkers (some of whom are landscape thinkers) and poets, and refers to the short story O recado do morro, by Guimarães Rosa, to elaborate the relationship between the landscape, walking and poetic revelation.
Keywords: Landscape. Horizon. Walking. Poetic revelation.





Para citar essa obra:
CABRAL, Arthur Caetano Simões; BARTALINI, Vladimir; Caminhar e desvelar paisagens. In: RUA [online]. Volume 25, número 1 - e-ISSN 2179-9911 - Junho/2019. Consultada no Portal Labeurb – Revista do Laboratório de Estudos Urbanos do Núcleo de Desenvolvimento da Criatividade.
http://www.labeurb.unicamp.br/rua/


DOI: https://doi.org/10.20396/rua.v25i1.8654443

--------------------------------------------------------------------

*Arquiteto e urbanista graduado pela FAU-USP em 2014, mestre e doutorando em Arquitetura e Urbanismo na FAU-USP, professor do curso de Arquitetura e Urbanismo da UFG. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-2921-4374. E-mail: arthurscc@yahoo.com.br.
**Arquiteto e urbanista graduado pela FAU-USP, mestre e doutor em Estruturas Ambientais Urbanas pela FAU-USP, professor do Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-3412-0620. E-mail: bartalini@usp.br.