O filho da dor: espacialidades em Desde que o samba é samba, de Paulo Lins.

The son of the pain: spatialities in Desde que o samba é samba, by Paulo Lins.

Gabriel Capelossi Ferrone*





     

Resumo:

Este trabalho faz uma reflexão em torno de Desde que o samba é samba (2012), segundo romance de Paulo Lins, que recria e ficcionaliza o nascimento e desenvolvimento do Samba no bairro carioca Estácio na década de 1920. Serão apontadas as estratégias narrativas para a construção de múltiplas espacialidades no romance e como a história do Samba e da Umbanda atuam na mobilidade, ou não, das personagens. Além disso, será observada a presença de graus de violência a partir da relação geográfica que os personagens dispõem entre si. Por fim, terão ênfase os múltiplos espaços, simbólicos e físicos, que, ora apresentam tensões e rivalidades desenvolvidas a partir de um relacionamento conturbado entre as pessoas que os dividem, ora aproximam-nas, impulsionadas pelos elementos culturais locais.
Palavras Chave: Espacialidade. Deslocamento. Samba. Umbanda. Violência.



Abstract:

This work reflects on Since samba é samba (2012), the second novel by Paulo Lins, which recreates and fictionalizes the birth and development of Samba in the Rio neighborhood of Estácio in the 1920s. Narrative strategies will be pointed out for the construction of multiple spatialities in the novel and how the history of Samba and Umbanda act on the mobility, or not, of the characters. In addition, the presence of degrees of violence will be observed based on the geographical relationship that the characters have among themselves. Finally, emphasis will be placed on the multiple spaces, both symbolic and physical, which, in turn, present tensions and rivalries developed from a troubled relationship between the people who divide them and sometimes bring them closer, driven by the local cultural elements.
Keywords: Spatiality. Displacement. Samba. Umbanda. Violence.





Para citar essa obra:
FERRONE, Gabriel Capelossi; O filho da dor: espacialidades em Desde que o samba é samba, de Paulo Lins.. In: RUA [online]. no. 23. Volume 2 - e-ISSN 2179-9911 - Novembro/2017. Consultada no Portal Labeurb – Revista do Laboratório de Estudos Urbanos do Núcleo de Desenvolvimento da Criatividade.
http://www.labeurb.unicamp.br/rua/


DOI: http://dx.doi.org/10.20396/rua.v23i2.8651139

--------------------------------------------------------------------

*Professor e bacharel em Letras graduado pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, UNESP, campus Araraquara. Discente do Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários (mestrado) pela mesma instituição. Endereço: R. Américo Salles, 619, Centro, Jardinópolis - São Paulo. E-mail: gabrielcapelossi@hotmail.com