Verbetes:
adaptação às mudanças climáticas
albergue
amolador
analfabetismo-alfabetização
andarilho
aprender-ensinar
aquecimento global
arruaça
arruaceiro
artista
artista de rua
assentamento
aterro sanitário
auxílio moradia
bairro
bairro-educador
bairro-escola
benevolo, leonardo (1923-)
bicicletário
bicicletário (foto)
bifobia
bilhete único
bonde (foto)
buzinaço
calçada
calçadão
camelô
cão e urbanidade
cartilha
casa
casa e corrida (foto)
catador
censo
centro
centro de estudos da metrópole
centro, revitalização (foto)
ciber
ciberbullying
cibercondria
cibercultura
ciclista, ciclofaixa (foto)
cidad-e
cidadania
cidadão
cidade
cidade dormitório
cidade escola
cidade global
cidade-alfa
cisgÊnero
coletivo
comércio ilegal
comunidade
comunidade
condomínio
condomínio de luxo
condomínio fechado
condomínio horizontal
congestionamento (foto)
container de lixo (foto)
contrabando
conurbação
corpografia
corrupção
cortiço
crime
crônica urbana
cultura e espaço
denúncia
denuncismo
desastre natural
disciplina
domicílio
droga
elevado
enchente
escola
escola de samba
espoliação urbana
estelionato
eutopia
exclusão espacial
favela
favela
favelização
feminismo
flanelinha
fobia
forma escolar
fragmentação econômica
fragmentação espacial
fragmentação social
furto
gari
globalization and world cities research network (gawc)
guardador de carros
habitante
hídrico
história da cidade (livro)
homicídio
ignorância
inclusão espacial
instituto brasileiro de geografia e estatística (ibge)
integração (transporte)
internetês
invasão
ipcc (painel intergovernamental sobre mudanças do clima)
janelas
laboratório de estudos urbanos
lagoa
lagoa (foto)
lambe-lambe
largo
lembranças escolares
lesbofobia
lixão
lixeiras (foto)
lixeiro
lixo
lote
loteamento
machismo
malabar
mancha urbana
manifestação
marginal
marginalidade
megalópole
memória metálica
mendigo
metrópole
metrópole (foto)
metrópole e cultura
metrópole e tráfego (vídeo)
metropolização
ministério da saúde
ministério das cidades
ministério do trabalho e emprego
mitigação das mudanças climáticas
mobilidade
mocambo
monumento
moradia
morador
movimento pendular
mudança climática
mulher
município
município
muro
nômade
observatório das metrópoles
ocupação
organização mundial da saúde (oms)
organizador local
panelaço
panfleteiro
patrick geddes
pedestre
pedinte
periferia
pesquisa nacional por amostra de domicílios (pnad)
pet
pipoqueiro
pirataria
polícia
polissemia
população em situação de rua
população residente
praça
praça adotada
praça de alimentação
praça histórica (foto)
praça identitária
praça seca
praça seca (foto)
prisma faces entrelaçadas
puxadinho
região metropolitana
rodovia e região metropolitana (foto)
romeiro
roubo
rua
ruão
ruído urbano
saber urbano e linguagem
saltimbanco
santidade
saúde (na constituição)
segurança pública
sem-carro
sinaleiro
solo urbano
sorveteiro
subúrbio
telecentro
trabalho informal
tráfego (foto)
tráfico
transeunte
transfobia
transporte
transporte aquaviário
transporte ferroviário
transporte rodoviário
transporte urbano
trecheiro
utopia
vadia
vagabundo
varredor
vazio urbano
viaduto

cisgÊnero

Dantielli Assumpção Garcia


 

Gênero – Transgênero – Transfobia – Homofobia – Cissexismo

 

Ao buscar definir a palavra cisgênero, diferentes discursos passam a funcionar. De um discurso biológico (relacionado ao sexo) a um discurso patológico (vendo o transgênero como uma doença e classificando-o no DSM – Manual Estatístico e Diagnóstico de Transtornos Mentais – e no CID – Catálogo Internacional de Doenças – e tratando o cisgênero como normalidade), passando por um discurso da cultura, as relações entre os sujeitos cisgêneros e transgêneros são colocadas em funcionamento.

A palavra cisgênero mobiliza pensar em 1. Expressão de gênero; 2. Identidade de gênero e 3. Papel de gênero. Em Orientações sobre identidade de gênero: conceitos e termos (2012), são apresentadas algumas definições para esses conceitos. Expressão de gênero é entendida como “a forma como a pessoa se apresenta, sua aparência e seu comportamento, de acordo com expectativas sociais de aparência e comportamento de um determinado gênero. Depende da cultura que a pessoa vive” (2012, p. 13). Relacionam-se aqui os aspectos culturais, comportamentais e sociais de um indivíduo. Já identidade de gênero refere-se ao gênero com o qual a pessoa se identifica que pode ou não concordar com o gênero que lhe foi atribuído desde seu nascimento. Por fim, papel de gênero refere-se ao “modo de agir em determinadas situações conforme o gênero atribuído, ensinado às pessoas desde seu nascimento” (2012, p. 14).

Assim, a palavra cisgênero (do latim cis significa do mesmo lado) é atribuída ao indivíduo quando sua identidade de gênero está em consonância com o gênero que lhe foi atribuído ao nascer, ou seja, “quando sua conduta psicossocial, expressa nos atos mais comuns do dia-a-dia está inteiramente de acordo com o que a sociedade espera de pessoas do seu sexo biológico” (http://www.leticialanz.org/cisgênero).

Embora no imaginário da sociedade vejam-se as diferenças entre homens e mulheres como somente biológicas, pode-se afirmar, ao falar em gênero, que essas diferenças são sociais, isto é, são construídas sócio-historicamente: “a sociedade em que vivemos dissemina a crença de que os órgãos genitais definem se uma pessoa é homem ou mulher. Porém, essa construção do sexo não é fato biológico é social” (2012, p. 5). Gênero vai além do sexo.

Para os movimentos feministas e trans, aponta Hungerford (s.d., www.materialfeminista.milharal.org/2012/08/27traducao-uma-critica-feminista-ao-cisgenero), “as atribuições coercitivas de gênero são uma fonte significativa de opressão”. O sujeito ao não se identificar com o gênero atribuído a ele ao nascer será vítima de cissexismo, o qual coloca “pessoas cis como o padrão natural de gênero e corpos” e “ignora, apaga, desconsidera experiências e corpos não cis” (https://feminismotrans.wordpress.com/2013/03/15/cissexual-cisgenero-e-cissexismo-um-glossario-basico/).

Portanto, há a circulação de um discurso que produz uma oposição entre o cisgênero e o transgênero. No cis, estaria a normalidade; no trans, a doença, discurso com o qual os movimentos sociais tentam romper.

 

Referências Bibliográficas

   

JESUS, J. G. de. Orientações sobre identidade de gênero: conceitos e termos. Brasília: Autor, 2012.

http://www.leticialanz.org/cisgênero. Acesso em 03 dez. 2014.

 

https://feminismotrans.wordpress.com/2013/03/15/cissexual-cisgenero-e-cissexismo-um-glossario-basico/ Acesso em 03 dez. 2014.

 

www.materialfeminista.milharal.org/2012/08/27traducao-uma-critica-feminista-ao-cisgenero Acesso em 03 dez. 2014.