Verbetes:
adaptação às mudanças climáticas
albergue
amolador
analfabetismo-alfabetização
andarilho
aprender-ensinar
aquecimento global
arruaça
arruaceiro
artista
artista de rua
assentamento
aterro sanit√°rio
auxílio moradia
bairro
bairro-educador
bairro-escola
benevolo, leonardo (1923-)
biciclet√°rio
biciclet√°rio (foto)
bifobia
bilhete √ļnico
bonde (foto)
buzinaço
calçada
calçadão
camel√ī
c√£o e urbanidade
cartilha
casa
casa e corrida (foto)
catador
censo
centro
centro de estudos da metrópole
centro, revitalização (foto)
ciber
ciberbullying
cibercondria
cibercultura
ciclista, ciclofaixa (foto)
cidad-e
cidadania
cidad√£o
cidade
cidade dormitório
cidade escola
cidade global
cidade-alfa
cisgÊnero
coletivo
comércio ilegal
comunidade
comunidade
condomínio
condomínio de luxo
condomínio fechado
condomínio horizontal
congestionamento (foto)
container de lixo (foto)
contrabando
conurbação
corpografia
corrupção
cortiço
crime
cr√īnica urbana
cultura e espaço
den√ļncia
denuncismo
desastre natural
disciplina
domicílio
droga
elevado
enchente
escola
escola de samba
espoliação urbana
estelionato
eutopia
exclus√£o espacial
favela
favela
favelização
feminismo
flanelinha
fobia
forma escolar
fragmenta√ß√£o econ√īmica
fragmentação espacial
fragmentação social
furto
gari
globalization and world cities research network (gawc)
guardador de carros
habitante
hídrico
história da cidade (livro)
homicídio
ignor√Ęncia
inclus√£o espacial
instituto brasileiro de geografia e estatística (ibge)
integração (transporte)
internetês
invas√£o
ipcc (painel intergovernamental sobre mudanças do clima)
janelas
laboratório de estudos urbanos
lagoa
lagoa (foto)
lambe-lambe
largo
lembranças escolares
lesbofobia
lix√£o
lixeiras (foto)
lixeiro
lixo
lote
loteamento
machismo
malabar
mancha urbana
manifestação
marginal
marginalidade
megalópole
memória metálica
mendigo
metrópole
metrópole (foto)
metrópole e cultura
metrópole e tráfego (vídeo)
metropolização
minist√©rio da sa√ļde
ministério das cidades
ministério do trabalho e emprego
mitigação das mudanças climáticas
mobilidade
mocambo
monumento
moradia
morador
movimento pendular
mudança climática
mulher
município
município
muro
n√īmade
observatório das metrópoles
ocupação
organiza√ß√£o mundial da sa√ļde (oms)
organizador local
panelaço
panfleteiro
patrick geddes
pedestre
pedinte
periferia
pesquisa nacional por amostra de domicílios (pnad)
pet
pipoqueiro
pirataria
polícia
polissemia
população em situação de rua
população residente
praça
praça adotada
praça de alimentação
praça histórica (foto)
praça identitária
praça seca
praça seca (foto)
prisma faces entrelaçadas
puxadinho
regi√£o metropolitana
rodovia e regi√£o metropolitana (foto)
romeiro
roubo
rua
ru√£o
ruído urbano
saber urbano e linguagem
saltimbanco
santidade
sa√ļde (na constitui√ß√£o)
seguran√ßa p√ļblica
sem-carro
sinaleiro
solo urbano
sorveteiro
sub√ļrbio
telecentro
trabalho informal
tr√°fego (foto)
tr√°fico
transeunte
transfobia
transporte
transporte aquavi√°rio
transporte ferrovi√°rio
transporte rodovi√°rio
transporte urbano
trecheiro
utopia
vadia
vagabundo
varredor
vazio urbano
viaduto

Geddes, Patrick

José Horta Nunes


Patrick Geddes nasceu em Ballater, Escócia, em 1854, e morreu em Montpellier, França, em 1832. Biólogo e professor de Botânica, Geddes voltou-se para o estudo das cidades de um ponto de vista evolucionista, considerando as transformações sociais na relação orgânica com o meio ambiente. Com influências de Bergson, o autor considera a dimensão histórica incorporada à atualidade e projetando uma futuridade.  Com isso, distingue a Utopia do que ele chama de Eutopia, distanciando-se do idealismo utópico e propondo uma concepção experimental da cidade, olhando ao mesmo tempo para o seu futuro.

O autor é conhecido por introduzir o levantamento urbano e regional, tendo em vista o planejamento das cidades. Trata-se de um levantamento geográfico, histórico e social que mostra a evolução das cidades, aliando a preservação e a transformação urbana. Os estudos dessa natureza estão ligados ao que ele chama “Civics”, uma “ciência aplicada”, que rompe a distinção entre teoria e prática no urbanismo.  A Civics seria uma “ciência da educação democrática”. Através de seu método experimental e dos levantamentos efetuados por cada cidade, seria obtida uma espécie de “Enciclopédia cívica”, com vistas à conscientização do leitor comum.

Elaborou uma série de conceitos que se tornaram correntes nos estudos urbanos, especialmente aqueles ligados ao estudo das regiões urbanas. Em seu livro “Cidades em Evolução”, cuja primeira edição em inglês é de 1915, renovando a terminologia do urbanismo, Geddes propõe chamar de conurbação o processo de formação das aglomerações urbanas, incluindo-se aí diversas configurações espaciais e sociais. O vocabulário ligado a essa noção é amplo: “cidade-região”, “cidade-agrupamento”, “conglomerado”, “metrópole”, “megalópole”, “região metropolitana”, “capital mundial”, etc. Outra formulação conceitual produtiva para o urbanismo está na distinção entre era paleotécnica, que corresponde a uma primeira fase da industrialização, marcada pela “competição”, pelo “esgotamento”, pela “rudeza”; e era Neotécnica, segunda fase da industrialização, marcada pelos ideais de “vida”, “planejamento”, “higiene”, “beleza”.

Em um dos textos introdutórios à edição brasileira de “Cidades em Evolução”, de 1994, Jaqueline Tyrwhilt (1905-1983), urbanista e seguidora de Geddes (ELLEN, 2013), nota que, devido a sua escrita “apressada”, “relutante”, atravessada por neologismos, sua obra ficou por algum tempo distante dos leitores, ainda mais porque o planejamento urbano ainda era limitado a um público restrito. Mesmo assim, o autor influenciou vários urbanistas e arquitetos, tendo sido mestre de Lewis Mumford, com quem correspondeu de 1915 a 1932, como vemos edição dessas cartas organizada por F. Novak (Lewis Mumford and Patrick Geddes – the correspondence. London, New York: Routledge, 1995).

Os últimos anos, algumas publicações proporcionaram novas leituras do autor e sua obra. São biografias, coletâneas, textos teóricos e críticos que re-avaliam seu lugar nos estudos da cidade, sobretudo suas contribuições para o planejamento urbano e para uma visão orgânica da cidade, o que ressurge por meio de termos como “biopólis” e “bioregionalismo”, dentro das tendências biológicas e ecológicas contemporâneas. Seus textos são referência para os estudos críticos das regiões metropolitanas, diante do crescimento e urbanização de cidades e regiões urbanas em várias partes do mundo, fato que Geddes previu não só como um visionário, mas como um planejador das cidades existentes. Lembre-se ainda de suas contribuições para os estudos de parques e jardins, bem como de museus e exposições de urbanismo com sua concepção de educação para a cidadania.

 

Referências bibliográficas

 

CHOAY, F. O Urbanismo. São Paulo: Perspectiva, 2007.GEDDES, Patrick. Cidades em Evolução. Tradução: Maria José Ferreira de Castilho. Campinas: Papirus, 1994.

ELLEN, Shoshkes. Jaqueiline Tyrwhilt - a transnational life. Burlington: Ashgate USA, 2013.

GEDDES, Patrick. Cities in Evolution. Reimpressão da primeira edição de 1915. London: Routledge/Thoemmes Press. 2000.

MELLER, Hellen. Patrick Geddes – social evolutionist and city planner. 1ª ed. Taylor Print on Dema, 1994.  ISBN-13: 9780415103930

NOVAK, Frank G. (ORG.). Lewis Mumford and Patrick Geddes – the correspondence.  1ª ed. London, New York: Routledge, 1995. ISBN-13: 9780415119061

RUBIN, N. H. Patrick Geddes and Town Planning – a critical view. 1ª ed. Taylor & Francis USA, 2011. ISBN-13: 9780415578660

WELTER, V. (Org.). The city after Patrick Geddes. 1ª ed.. Peter Lang Pub, 2000. ISBN-13: 9783906764696

WHYTE, Iain Boyd; WELTER, Volker M. Biopolis - Patrick Geddes and the city of life. Cambridge: Mit Press, 2003. ISBN-13: 9780262731645

 


 
Palavras-chave:

conurbação
  -metr√≥pole
  -metr√≥pole e cultura
  -regi√£o metropolitana
  -transporte urbano
  -eutopia
  -cidade dormit√≥rio
  -metropoliza√ß√£o

metrópole
  -metr√≥pole e cultura
  -conurba√ß√£o
  -favela
  -mendigo
  -regi√£o metropolitana
  -centro de estudos da metr√≥pole
  -observat√≥rio das metr√≥poles
  -transporte
  -bilhete √ļnico
  -mancha urbana
  -janelas
  -metr√≥pole (foto)
  -minist√©rio das cidades
  -pra√ßa de alimenta√ß√£o
  -munic√≠pio
  -globalization and world cities research network (gawc)
  -cidade-alfa
  -cidade global
  -megal√≥pole
  -movimento pendular
  -metropoliza√ß√£o
  -tr√°fego (foto)
  -rodovia e regi√£o metropolitana (foto)
  -metr√≥pole e tr√°fego (v√≠deo)

megalópole
  -conurba√ß√£o
  -mendigo
  -munic√≠pio
  -globalization and world cities research network (gawc)
  -cidade-alfa
  -megal√≥pole

planejamento urbano
  -conurba√ß√£o
  -aterro sanit√°rio
  -domic√≠lio
  -popula√ß√£o residente
  -mancha urbana
  -loteamento
  -minist√©rio das cidades
  -movimento pendular

regi√£o urbana
  -conurba√ß√£o

urbanismo
  -conurba√ß√£o
  -benevolo, leonardo (1923-)
  -hist√≥ria da cidade (livro)
  -eutopia
  -lote
  -laborat√≥rio de estudos urbanos
  -condom√≠nio fechado
  -condom√≠nio horizontal
  -minist√©rio da sa√ļde
  -puxadinho
  -congestionamento (foto)
  -rodovia e regi√£o metropolitana (foto)

biopólis
  -eutopia

bioregionalismo
  -mendigo
  -eutopia

civics
  -eutopia

educação democrática

eutopia
  -utopia
  -eutopia

evolucionismo

levantamento urbano
  -eutopia

Lewis Mumford
  -eutopia

neotécnica

paleotécnica

Patrick Geddes
  -eutopia

utopia
  -eutopia




Noções: