Verbetes:
adaptação às mudanças climáticas
albergue
amolador
analfabetismo-alfabetização
andarilho
aprender-ensinar
aquecimento global
arruaça
arruaceiro
artista
artista de rua
assentamento
aterro sanitário
auxílio moradia
bairro
bairro-educador
bairro-escola
benevolo, leonardo (1923-)
bicicletário
bicicletário (foto)
bifobia
bilhete único
bonde (foto)
buzinaço
calçada
calçadão
camelô
cão e urbanidade
cartilha
casa
casa e corrida (foto)
catador
censo
centro
centro de estudos da metrópole
centro, revitalização (foto)
ciber
ciberbullying
cibercondria
cibercultura
ciclista, ciclofaixa (foto)
cidad-e
cidadania
cidadão
cidade
cidade dormitório
cidade escola
cidade global
cidade-alfa
cisgÊnero
coletivo
comércio ilegal
comunidade
comunidade
condomínio
condomínio de luxo
condomínio fechado
condomínio horizontal
congestionamento (foto)
container de lixo (foto)
contrabando
conurbação
corpografia
corrupção
cortiço
crime
crônica urbana
cultura e espaço
denúncia
denuncismo
desastre natural
disciplina
domicílio
droga
elevado
enchente
escola
escola de samba
espoliação urbana
estelionato
eutopia
exclusão espacial
favela
favela
favelização
feminismo
flanelinha
fobia
forma escolar
fragmentação econômica
fragmentação espacial
fragmentação social
furto
gari
globalization and world cities research network (gawc)
guardador de carros
habitante
hídrico
história da cidade (livro)
homicídio
ignorância
inclusão espacial
instituto brasileiro de geografia e estatística (ibge)
integração (transporte)
internetês
invasão
ipcc (painel intergovernamental sobre mudanças do clima)
janelas
laboratório de estudos urbanos
lagoa
lagoa (foto)
lambe-lambe
largo
lembranças escolares
lesbofobia
lixão
lixeiras (foto)
lixeiro
lixo
lote
loteamento
machismo
malabar
mancha urbana
manifestação
marginal
marginalidade
megalópole
memória metálica
mendigo
metrópole
metrópole (foto)
metrópole e cultura
metrópole e tráfego (vídeo)
metropolização
ministério da saúde
ministério das cidades
ministério do trabalho e emprego
mitigação das mudanças climáticas
mobilidade
mocambo
monumento
moradia
morador
movimento pendular
mudança climática
mulher
município
município
muro
nômade
observatório das metrópoles
ocupação
organização mundial da saúde (oms)
organizador local
panelaço
panfleteiro
patrick geddes
pedestre
pedinte
periferia
pesquisa nacional por amostra de domicílios (pnad)
pet
pipoqueiro
pirataria
polícia
polissemia
população em situação de rua
população residente
praça
praça adotada
praça de alimentação
praça histórica (foto)
praça identitária
praça seca
praça seca (foto)
prisma faces entrelaçadas
puxadinho
região metropolitana
rodovia e região metropolitana (foto)
romeiro
roubo
rua
ruão
ruído urbano
saber urbano e linguagem
saltimbanco
santidade
saúde (na constituição)
segurança pública
sem-carro
sinaleiro
solo urbano
sorveteiro
subúrbio
telecentro
trabalho informal
tráfego (foto)
tráfico
transeunte
transfobia
transporte
transporte aquaviário
transporte ferroviário
transporte rodoviário
transporte urbano
trecheiro
utopia
vadia
vagabundo
varredor
vazio urbano
viaduto

vagabundo

José Horta Nunes


Os sentidos de vagabundo se apresentam em pelo menos três regiões de sentido: a de andar sem rumo, a de vadiar e a de inconstância. A primeira delas tende a um sentido positivo, próximo do “aventureiro”, o “vagamundo”, enquanto os dois últimos tendem a sentidos negativos e pejorativos.  Como a cidade, os sujeitos, as situações, as práticas são significadas ao se dizer sobre essa palavra? Vejamos estas três definições do dicionário Aulete Digital:

“1. Que vagueia, que anda sem destino; NÔMADE; VAGAMUNDO; ANDARILHO: "Apenas se encontravam alguns ranchos onde se acolhia uma população vagabunda de aventureiros, que percorriam o sertão (...)." (José de Alencar, O sertanejo.))
2. Que é vadio, que é desocupado ou faz as coisas sem vontade
3. Que demonstra inconstância; que é volúvel: "D. Benedita, à janela, olhava a noite, entre as estrelas e os lampiões de gás, com a imaginação vagabunda, inquieta (...)." (Machado de Assis, D. Benetida, in: Papéis avulsos.)” (AULETE DIGITAL, 2015

 A primeira definição de vagabundo aborda o percurso do sujeito (“Que vagueia, que anda sem destino”). Há uma sinonímia marcada com nômade, vagamundo e andarilho, tendo como traço comum o andar “sem destino”, como um “aventureiro”. Já a segunda aborda o sujeito da perspectiva da ocupação, do trabalho, trazendo o sentido de “vadio”, que é retomado pela paráfrase “desocupado”. Acompanha essa acepção um sentido psicológico desse sujeito (“faz as coisas sem vontade”). A terceira acentua a dimensão psicológica apenas esboçada na segunda: “inconstância”, “volúvel”, sem menção a alguma situação ou ação do sujeito.

Há ainda, nas acepções que seguem, indicações de sentidos pejorativos, como em “Bras. Pej. Pessoa que é infame, canalha, desonesta” (AULETE DIGITAL, 2015). Como ocorre regularmente, o dicionário acrescenta pela ordem da acepção sentidos cada vez mais pejorativos, em uma gradação que se mostra por uma rede sinonímica da pejoratividade, como se vê nesta série: vadio, desocupado, inconstante, volúvel, infame, canalha, desonesto.

A leitura desse verbete leva a considerar que os sentidos de vagabundo dependem do modo como se interpreta o movimento dos sujeitos, bem como o estado psicológico que esse movimento produz nele. O movimento sem rumo pode ser interpretado como aventura (vagabundo-vagamundo) ou vadiagem (vagabundo-vadio). Porém, essa contradição entre duas interpretações de direções divergentes não se apresenta quando se trata dos estado psiclógicos do sujeito. Nesse caso, não há duas direções de sentido mas uma mesma direção que forma uma série depreciativa: inconstância, volubilidade, infâmia, canalhice, desonestidade. Não se menciona, por exemplo, em uma possível paráfrase psicológica do aventureiro: a criatividade, a flexibilidade, a adaptabilidade, a coragem, etc. Os sentidos do movimento do sujeito, desse modo, variam conforme a posição que ele ocupa ou que lhe é atribuída.

 

Bibliografia

AULETE DIGITAL – O DICIONÁRIO DA LÍNGUA PORTUGUESA. Disponível em: http://www.aulete.com.br. Acesso em 17 de março de 2015.

 

Palavras-chave:


Noções: