Verbetes:
adapta├ž├úo ├ás mudan├žas clim├íticas
albergue
amolador
analfabetismo-alfabetiza├ž├úo
andarilho
aprender-ensinar
aquecimento global
arrua├ža
arruaceiro
artista
artista de rua
assentamento
aterro sanitário
aux├şlio moradia
bairro
bairro-educador
bairro-escola
benevolo, leonardo (1923-)
bicicletário
bicicletário (foto)
bifobia
bilhete ├║nico
bonde (foto)
buzina├žo
cal├žada
cal├žad├úo
camel├┤
cão e urbanidade
cartilha
casa
casa e corrida (foto)
catador
censo
centro
centro de estudos da metr├│pole
centro, revitaliza├ž├úo (foto)
ciber
ciberbullying
cibercondria
cibercultura
ciclista, ciclofaixa (foto)
cidad-e
cidadania
cidadão
cidade
cidade dormit├│rio
cidade escola
cidade global
cidade-alfa
cisg├Őnero
coletivo
com├ęrcio ilegal
comunidade
comunidade
condom├şnio
condom├şnio de luxo
condom├şnio fechado
condom├şnio horizontal
congestionamento (foto)
container de lixo (foto)
contrabando
conurba├ž├úo
corpografia
corrup├ž├úo
corti├žo
crime
cr├┤nica urbana
cultura e espa├žo
den├║ncia
denuncismo
desastre natural
disciplina
domic├şlio
droga
elevado
enchente
escola
escola de samba
espolia├ž├úo urbana
estelionato
eutopia
exclusão espacial
favela
favela
faveliza├ž├úo
feminismo
flanelinha
fobia
forma escolar
fragmenta├ž├úo econ├┤mica
fragmenta├ž├úo espacial
fragmenta├ž├úo social
furto
gari
globalization and world cities research network (gawc)
guardador de carros
habitante
h├şdrico
hist├│ria da cidade (livro)
homic├şdio
ignorância
inclusão espacial
instituto brasileiro de geografia e estat├şstica (ibge)
integra├ž├úo (transporte)
internetês
invasão
ipcc (painel intergovernamental sobre mudan├žas do clima)
janelas
laborat├│rio de estudos urbanos
lagoa
lagoa (foto)
lambe-lambe
largo
lembran├žas escolares
lesbofobia
lixão
lixeiras (foto)
lixeiro
lixo
lote
loteamento
machismo
malabar
mancha urbana
manifesta├ž├úo
marginal
marginalidade
megal├│pole
memória metálica
mendigo
metr├│pole
metr├│pole (foto)
metr├│pole e cultura
metr├│pole e tr├ífego (v├şdeo)
metropoliza├ž├úo
minist├ęrio da sa├║de
minist├ęrio das cidades
minist├ęrio do trabalho e emprego
mitiga├ž├úo das mudan├žas clim├íticas
mobilidade
mocambo
monumento
moradia
morador
movimento pendular
mudan├ža clim├ítica
mulher
munic├şpio
munic├şpio
muro
n├┤made
observat├│rio das metr├│poles
ocupa├ž├úo
organiza├ž├úo mundial da sa├║de (oms)
organizador local
panela├žo
panfleteiro
patrick geddes
pedestre
pedinte
periferia
pesquisa nacional por amostra de domic├şlios (pnad)
pet
pipoqueiro
pirataria
pol├şcia
polissemia
popula├ž├úo em situa├ž├úo de rua
popula├ž├úo residente
pra├ža
pra├ža adotada
pra├ža de alimenta├ž├úo
pra├ža hist├│rica (foto)
pra├ža identit├íria
pra├ža seca
pra├ža seca (foto)
prisma faces entrela├žadas
puxadinho
região metropolitana
rodovia e região metropolitana (foto)
romeiro
roubo
rua
ruão
ru├şdo urbano
saber urbano e linguagem
saltimbanco
santidade
sa├║de (na constitui├ž├úo)
seguran├ža p├║blica
sem-carro
sinaleiro
solo urbano
sorveteiro
sub├║rbio
telecentro
trabalho informal
tráfego (foto)
tráfico
transeunte
transfobia
transporte
transporte aquaviário
transporte ferroviário
transporte rodoviário
transporte urbano
trecheiro
utopia
vadia
vagabundo
varredor
vazio urbano
viaduto

artista de rua

Jos├ę Horta Nunes


A nomeação artista de rua se expandiu nos últimos anos como uma maneira de relacionar a atuação do artista ao espaço da rua, ao espaço público. Isso trouxe alguns deslocamentos que acompanham as transformações de sentido por que passa a palavra “rua”, significando para além do espaço físico, aspectos sociais e políticos da contemporaneidade.

A locução artista de rua ainda não aparece em vários dicionários atuais, como o Aulete Digital (2015). É um neologismo que dá continuidade a uma série de palavras que signifcam ocupações artísticas em espaços públicos, e pouco utilizadas hoje, como saltimbanco (“Artista popular itinerante, que integra grupos de circo, teatro que fazem exibições em praças e em pequenas cidades do interior”).

Mas os artistas de rua nem sempre são itinerantes ou integram grupos. Eles estão ligados aos processos de individualização dos sujeitos e grande parte deles apresenta suas habilidades isoladamente no espaço público, em praças, calçadas ou sinaleiros.

São chamados de artistas de rua, hoje em dia, grafiteiros, malabares, atores performáticos, palhaços,  músicos de rua, artistas que apresentam técnicas circenses, poetas, artistas do movimetno hip-hop, teatro de rua, acrobatas, estátuas vivas, etc.).

Para além da individualidade do artista de rua, eles se inserem nos movimentos mais amplos que fazem da rua um lugar social e político, após décadas de declínio social e moral do espaço público. Retomando atividades artísticas nesse espaço, busca-se romper com a indiferença e a tecnicidade aí presentes. O sinaleiro é emblemático a esse respeito, pois é justamente um ponto de parada no trânsito, em que os mororistas  são expostos a esse contato imprevisível com a arte.

 

Bibliografia

AULETE DIGITAL – O DICIONÁRIO DA LÍNGUA PORTUGUESA. Disponível em: http://www.aulete.com.br. Acesso em 17 de março de 2015.

Palavras-chave:


Noções: