Verbetes:
adaptação às mudanças climáticas
albergue
amolador
analfabetismo-alfabetização
andarilho
aprender-ensinar
aquecimento global
arruaça
arruaceiro
artista
artista de rua
assentamento
aterro sanitário
auxílio moradia
bairro
bairro-educador
bairro-escola
benevolo, leonardo (1923-)
bicicletário
bicicletário (foto)
bifobia
bilhete único
bonde (foto)
buzinaço
calçada
calçadão
camelô
cão e urbanidade
cartilha
casa
casa e corrida (foto)
catador
censo
centro
centro de estudos da metrópole
centro, revitalização (foto)
ciber
ciberbullying
cibercondria
cibercultura
ciclista, ciclofaixa (foto)
cidad-e
cidadania
cidadão
cidade
cidade dormitório
cidade escola
cidade global
cidade-alfa
cisgÊnero
coletivo
comércio ilegal
comunidade
comunidade
condomínio
condomínio de luxo
condomínio fechado
condomínio horizontal
congestionamento (foto)
container de lixo (foto)
contrabando
conurbação
corpografia
corrupção
cortiço
crime
crônica urbana
cultura e espaço
denúncia
denuncismo
desastre natural
disciplina
domicílio
droga
elevado
enchente
escola
escola de samba
espoliação urbana
estelionato
eutopia
exclusão espacial
favela
favela
favelização
feminismo
flanelinha
fobia
forma escolar
fragmentação econômica
fragmentação espacial
fragmentação social
furto
gari
globalization and world cities research network (gawc)
guardador de carros
habitante
hídrico
história da cidade (livro)
homicídio
ignorância
inclusão espacial
instituto brasileiro de geografia e estatística (ibge)
integração (transporte)
internetês
invasão
ipcc (painel intergovernamental sobre mudanças do clima)
janelas
laboratório de estudos urbanos
lagoa
lagoa (foto)
lambe-lambe
largo
lembranças escolares
lesbofobia
lixão
lixeiras (foto)
lixeiro
lixo
lote
loteamento
machismo
malabar
mancha urbana
manifestação
marginal
marginalidade
megalópole
memória metálica
mendigo
metrópole
metrópole (foto)
metrópole e cultura
metrópole e tráfego (vídeo)
metropolização
ministério da saúde
ministério das cidades
ministério do trabalho e emprego
mitigação das mudanças climáticas
mobilidade
mocambo
monumento
moradia
morador
movimento pendular
mudança climática
mulher
município
município
muro
nômade
observatório das metrópoles
ocupação
organização mundial da saúde (oms)
organizador local
panelaço
panfleteiro
patrick geddes
pedestre
pedinte
periferia
pesquisa nacional por amostra de domicílios (pnad)
pet
pipoqueiro
pirataria
polícia
polissemia
população em situação de rua
população residente
praça
praça adotada
praça de alimentação
praça histórica (foto)
praça identitária
praça seca
praça seca (foto)
prisma faces entrelaçadas
puxadinho
região metropolitana
rodovia e região metropolitana (foto)
romeiro
roubo
rua
ruão
ruído urbano
saber urbano e linguagem
saltimbanco
santidade
saúde (na constituição)
segurança pública
sem-carro
sinaleiro
solo urbano
sorveteiro
subúrbio
telecentro
trabalho informal
tráfego (foto)
tráfico
transeunte
transfobia
transporte
transporte aquaviário
transporte ferroviário
transporte rodoviário
transporte urbano
trecheiro
utopia
vadia
vagabundo
varredor
vazio urbano
viaduto

corpografia

Cristiane Dias


A corpografia diz respeito a uma mudança na noção de língua e escritura como efeito do uso do computador e da internet. Com a linguagem de programação “tudo se torna número”, mostra Herrenschmidt (2007), tendo a língua, assim, que passar por um “tratamento” digital, algoritmizado, que a torna visível na tela.

A noção de corpografia leva em conta essa mudança e procura compreender uma contorção sintática que se dá a partir daquilo que não cabe no código padrão, nem da língua, nem do número, que não pode ser representado por nenhum código digital binário: o corpo, corpo social.

A corpografia diz respeito, pois, a essa apropriação social de um fenômeno técnico, o do computador reservado em seus primórdios aos programadores e especialistas, os únicos capazes de produzir conteúdo para e da internet. Com a popularização do computador e da internet, essa “significação técnica” mudou e, com ela, o corpo social se apropria da própria internet, mudando sua linguagem: corpografia.

Essa apropriação, que é comumente chamada de web social, cria um modo de subverter o sistema representável e de referenciação de dados, tanto da linguagem da máquina quanto da linguagem normativa das gramáticas da língua, derrubando barreiras técnicas de compartilhamento no espaço digital.

A corpografia, ainda, trata de um descentramento anárquico do corpo e da grafia, da língua, da internet. Simulacro  do sujeito, da língua, da escrita, do corpo. Essa noção pretende dar conta de pensar sobre o modo como o corpo se inscreve materialmente na rede internet, pela composição daquilo que lhe é impossível e daquilo que é o impossível da língua. O impossível é, portanto, o lugar de encontro entre língua e corpo, na grafia da rede: a grafia como simulacro do corpo. 

Essa noção propõe um modo de compreensão da inscrição do corpo na escrita, uma vez que recai sobre a constituição do sujeito conectado onde o corpo e o próprio sujeito são da ordem do simulacro e não da ordem da representação de um referente no mundo.
A corpografia é aquilo que aponta para o irrepresentável que une a língua e o corpo no espaço digital. O que chamo corpografia é, portanto, esse simulacro do corpo na letra, da letra na tela, uma corpografia digital. Um modo de formular o corpo e a língua no digital. Nesse espaço, o real do corpo irrompe daquilo que lhe é impossível enquanto corpo orgânico, e que, no entanto, o constitui, pelo digital, enquanto corpo gráfico. E o real da língua irrompe daquilo que lhe é impossível enquanto sistema sintático, ortográfico, e que, no entanto, a constitui no interdiscurso, inventando uma sintaxe do algoritmo, uma semântica da web.  A corpografia é uma língua no interior diferencial da língua, no seu limite agramatical.
:p
;)

 

Bibliografia

DELEUZE, Gilles. Diferença e repetição. 2 ed. Trad. Luiz Orlandi, Roberto Machado. Graal: Rio de Janeiro, 2009.
DIAS, Cristiane. A discursividade da rede (de sentidos): a sala de bate-papo HIV. Tese de Doutorado. Unicamp/IEL, Campinas, 2004. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=vtls000341547
DIAS, Cristiane. Da corpografia: ensaio sobre a língua/escrita na materialidade digital. Série Cogitare. Vol. 8. Santa Maria: PPGL-Letras, 2008.

 

 

Palavras-chave:

Internet
  -cibercondria
  -telecentro

grafia

simulacro




Noções: